Sobre mim!

Sou estudante da Universidade Pedagogica de Moçambique delegacao da Beira, encontrando-me a cursar a Licenciatura em Ensino de Geografia com habilitacoes em Turismo pela faculdade de ciencias sociais. Nascido aos 14 de Marco de 1994, solteiro, filho de Caetano Auiba Malua e de Zelita Alves Bernardo. De nacionalidade mocambicana, natural da provincia da Zambezia, distrito de Quelimane, actualmente radicado na provincia de Sofala na Cidade da Beira-Mocambique. Pai de Um filho, este que pela primeira vez me fez chamar da pai. Gosto de criar amizades, trabalhar em equipe, sob pressao e capaz de se adaptar aqualquer ambiente, gosto de desafios e iniciativas. actualmente sou membro e secretario da Associacao dos estudantes da Universidade Pedagogica de Mocambique-Beira.

 

I am a student of the Pedagogical University of Mozambique delegation of Beira, finding myself to attend the Teaching Degree in Geography with qualifications in Tourism by the Faculty of Social Sciences. Born on 14 March 1994, single, son of Caetano Auiba Malua and Zelita Bernardo Alves. Of Mozambican nationality, born in the province of Zambezia, Quelimane district, currently based in Sofala province in Beira, Mozambique. Father of a son, the first time that this has made me call the father. I enjoy creating friendships, work as a team under pressure and able to adapt aAny environment, like challenges and initiatives. I am currently a member and secretary of the Association of Students of the Pedagogical University of Mozambique, Beira.

Plano de Aula

Escola Secundária de Bajone

10ª Classe                                                   Turma A

Data: 15/03/2014

Objectivo geral:

ü  Conhecer o rio Milage

Objectivos específicos:

ü  localizar o rio Milage;

ü  Descrever o rio Milage ;

ü  Mencionar a importancia do rio Milage.

Duração

Função didáctica

Conteúdos

Competências

Métodos

Recursos didácticos

 

Professora

Aluno

 

 

45

Motivação (contínua)

Marcação presença

Marca presença

Respondem a marcação de presença

Técnica de pergunta e resposta

Livro de turma

 

Mediação e assimilação

Localizar o rio Milage , Descrever rio Milage;

Mencionar a importância do rio Milage

Localiza o rio Milage; Descreve o rio Milage;, menciona a importância do rio MIlage (orienta os alunos)

Fazem a localização e a descrição do rio Milage; menciona a importância do rio Milage (orientados pela professora)

Expositivo (dialogado); técnica de pergunta e resposta

Quadro, Giz, apagador, livro de aluno, manual do professor e cartaz

 

Consolidação

Localizar o rio Milage, Descrever rio Milage;

Mencionar a importância do rio Milage

Questiona sobre: Localização do rio Milage, Descrição do rio Milage;

a importância do rio Milage

Responde sobre: localização do rio Milage; descrição do rio Milage; a importância do rio Milage.

Técnica de pergunta e respostas

Quadro, Giz, apagador, livro de aluno, manual do professor e cartaz

 

Avaliação

Questionário

Marca o Trabalho de casa no quadro.

Marca o trabalho de casa nos cadernos e respondem os questionários em casa.

Trabalho independente

Quadro, Giz, caneta e cadernos dos alunos.

 

 


 

Rio Milage

O Rio Milage situa-se no extremo Este da Província da Zambézia e a Leste do Distrito de Maganja da Costa no Posto Administrativo de Bajone na Localidade de Naico entre os paralelos 17°7’18.01″da Latitude sul e entre os meridianos 38°3’2.02″da Longitude Este. Com um comprimento de cerca de 23 km, o rio Milage é um dos braços do rio Nipiode. Serve de limite natural entre o Posto Administrativo de Mocubela com o Posto Administrativo de Bajone na localidade de Naico e de Naico com Nabrico, na qual faz uma confluência com o rio Moniga e que vai desaguar no Oceano indico no Distrito de Pebane.

Origem

O nome Milage, quer na gramática ou na língua dos povos das áreas por ele percorrida não tem nenhum significado. O seu leito corre no sentido Oeste-Este e é considerado como um dos maiores rios do Posto Administrativo de Bajone e o terceiro maior da localidade de Naico.

Características

Como é do conhecimento que os rios moçambicanos, são na sua maioria são de regime periódico, devido a sua configuração do relevo (planície, planalto, montanha e depressão), o caso deste, ele é do regime pluvial, o que significa que, o seu sistema de cheias e vazante depende da queda pluviómetrico e devido a sua proximidade ao mar, as suas águas sofrem efeitos das marés tornando-se águas salgadas a um raio de 7 km de distância, principalmente no verão e nas marés altas.

Importância do rio a nível local

São eles que nos fornecem grande parte da água que consumimos, que usamos para produzir nossos alimentos, de que necessitamos para nossa higiene e que utilizamos para irrigar o solo das áreas agrícolas.

No caso deste, a nível local, ele é usado para as actividades domésticas das populações circunvizinhas como é o caso:

ü  Da prática pesqueira, captação de água para consumo, construção de habitações, lazer (mergulho), e como via de comunicação através dos barcos a vela.

ü  O rio, tem um potencial, recurso marisco para as populações locais assim como circunvizinhos e uma grande biodiversidade marinha.

No que diz respeito a irrigação, este poderia ser útil para tal actividade agrícola, olhando pela capacidade das suas águas e dos solos por eles drenados.

Nota

MANIFESTO ELEITORAL

Imagem

Rajabo Caetano Bernardo Malua

 

Eu Rajabo Caetano Bernardo Malua, estudante do curso de Geografia, 3º ano, de nacionalidade moçambicana, nascido aos 14 de Março de 1994, filho de Caetnao Aiuba Malua e de Zelita Alves Bernardo, natural de Quelimane, estado Civil Solteiro, titular de Bilhete de Identidade n° 040100705210C, emitido em 14 de Dezembro de 2010, pelo arquivo de identificação civil de Quelimane, residente em Beira no 4º Bairro Chaimite, UC “A”, Qnº04, casa nº 94, na Rua Luís Inácio, trago o seguinte manifesto para a minha candidatura.

 

Missão e Visão

Porque os recursos humanos, na sua diversidade, constituem o principal factor de desenvolvimento, diferenciação e competitividade das organizações, é neles na satisfação das suas legítimas aspirações, para que uma associação deve investir de forma concertada.

Porque Como é sabido que os recursos humanos, na sua diversidade, constituem o principal factor de desenvolvimento, diferenciação e competitividade das nas organizações sociais, é neles nelas, em que há na satisfação das suas legítimas aspirações, rumo ao desenvolvimento em todos os níveis sem distinção de situação social, raça, regionalismo, cursos, idade, género, e muito mais é desta forma que devemos de forma conjunta promover o espírito de coesão interna para a o sucesso da nossa governação. para que uma associação deve investir de forma concertada.

A promoção de uma cultura de mérito, a adopção de uma estratégia de interacção permanente com os estudantes e membros da AEUP, a inclusão participativa dos estudantes nas tomadas de decisões, a intervenção e mediação dos problemas entre estudantes, estudantes–docentes e estudantes – CTA, a contribuição para a manutenção da higiene das nossas casas de banhos e o nosso meio, a intervenção do funcionamento normal das nossas bibliotecas e sala de informática, a massificação do desporto, da cultura que contribuam para um forte sentido de pertença, serão os pilares da minha actuação.

De igual modo, porque dessa forma como presidente da Associação dos estudantes, singirei-mo-nos por uma associação fortemente mais inclusiva imbuída de princípios e práticas de responsabilidade social e académica, consentâneas com a sua missão de “contribuir para o desenvolvimento social, na defesa dos estudantes nos assuntos académicos, na promoção da justiça social sem distinção de raça, género, cultura, religião, proveniência e muito menos curso, tornar os estudantes esclarecidos e responsáveis para a consolidação da soberania académica assente no conhecimento, princípios e valores universais”.

Porque o Presidente da AEUP é um órgão é um órgão? com poder executivo, eleito pelos estudantes da Universidade Pedagógica-Beira por meio de voto, procuraremos conduzir a nossa actuação privilegiando aspectos que se espelhem essencialmente aos estudantes. Desta forma, conduziremos as nossas actividades, com espírito de missão sem descurar a perspectiva global do papel que todos representam no desenvolvimento da Universidade.

Assim, após ser eleito como Presidente da Associação dos Estudantes da UP-Beira, procuraremos priorizar juntos com os estudantes as seguintes áreas de interesse académico:

  1. Assuntos Académicos
  • Manter o contacto permanente com os estudantes para o acesso a informação através de criação de paginas nas redes sociais, jornais, de modo que os estudantes tenham a informação com tempo e hora;
  • Procuraremos estabelecer o elo de ligação entre a direcção da UP e os estudantes, de modo a facilitar a difusão de informação nos campus da Pousada e do Goto;
  • Pressionar a direcção sobreo horário de funcionamento das bibliotecas;
  • Negociar com a direcção sobre a reposição ou apetrechamento da sala de informática da Pousada e ao acesso da sala de informática da UP Pontagêa.
  • Intervir e mediar eventuais conflitos entre estudante-docente, estudante-CTA e estudante-estudante.
  • Criação de espaço para exposição de trabalhos científicos de estudantes.
  • Desenvolver um forte sentido de pertença, reforçando mecanismos de comunicação interna, aumentando a interactividade entre estudantes e disponibilizando meios de participação directa em matérias de interesse colectivo relevante;
  • Dinamizar a participação dos estudantes nas Portas Abertas, Jornadas científicas e nas palestras.

 

  1.  Área social e ambiente
  • Manter o nosso pátio e as nossas casas de banhos num ambiente mais humano
  • Contribuir para a manutenção da higiene das nossas casas de banhos e o nosso recinto universitário através da aquisição e alocação de baldes para depósitos de lixo nos corredores da nossa instituição e a limpeza frequente das nossas casas de banhos.
  • Apoiar aos estudantes mais necessitados com maior atenção para os portadores de deficiências.
  • Apoiar socialmente os estudantes em caso de necessidades.
  • Divulgar as informações sobre o processo de candidaturas à bolsas de Estudos da UP.
  • Expandir informação sobre a existência do Posto Medico da UP-Beira localizado nos campus do Goto.
  1. Área de Desporto, cultura e recreação
  • Massificar a prática desportiva a nível interno (entre os cursos) e externo (entre a nossa universidades com as outras instituições), nas modalidades de xadrez, futebol salão, Basketbol, e dentre outras.
  • Organizar as premiações das competições internas,
  • Promover a cultura através de intercâmbio cultural, debates académicos entre os estudantes da Up-Beira e outras Universidades, organização de sarau cultural, gastronomia de entre outras.

 

Por uma associação mais inclusiva, participativa, rumo aos destinos estudantis

 

 

Beira, ao 15 de Maio de 2014

——————————————————-

(Rajabo Caetano Bernardo Malua)

 

 

EXMO SENHOR PRESIDENTE DA COMISSÃO ELEITORAL DA AEUP-BEIRA

BEIRA

 

 

Rajabo Caetano Bernardo Malua, solteiro,nascido aos 14 de Março de 1994, filho de Caetano Aiuba Malua e de Zelita Alves Bernardo, natural de Quelimane, Distrito de Quelimane, Província de Zambézia, residente na cidade da Beira, 4º Bairro – Chaimite, Titular do Bilhete de Identidade n° 040100705210C, emitido em 14 de Dezembro de 2010, pelo arquivo de identificação civil da Quelimane, vem mui respeitosamente requerer a V. Excia, se digne autorizar a admissão ao concurso de candidatura a presidência da Associação de Estudante da Universidade Pedagógica, a que se refere aos avisos publicadas nas vossas vitrinas oficiais, para o que se junta, Fotocópia de Bilhete de Identidade, Fotocópia de Cartão de Membro da AEUP-Beira, Fotocópia de Cartão de Estudante, Fotocópia do Recebi de Registo Académico Actualizado, Manifesto Eleitoral, Fotocopia de Recibo Militar, Assinaturas de Estudantes Apoiantes e Curriculum Vitae, pelo que;

 

Pede deferimento

Beira, ao 15 de Maio de 2014

—————————————————————————

(Rajabo Caetano Bernardo Malua )

Posto Administrativo De Bajone, Estudo dos Minerais Metalicos

Declaração de honra

Declaro por minha honra que este trabalho de pesquisa é resultado da minha inteira investigação, o seu conteúdo é original e todas as fontes consultadas estão devidamente mencionadas no texto, as notas e na respectiva bibliografia final.

Declaro ainda que este trabalho não foi apresentado em nenhuma outra instituição para obtenção de qualquer grau académico.

 

 

Beira, ao 26 de Maio de 2014

————————————————-

/Rajabo Caetano Bernardo Malua/


 

Dedicatória

Dedico este trabalho de investigação ao meu filho, que pela primeira vez me fez chamar de pai, a minha família, colegas e amigos. Ao Msc. Sinawuadjia, pelo tema e pela sabedoria que tem me proporcionando na cadeira de Geografia da Industria e noutras por ele dadas.

Em memória ao meu pai e irmãos. Que Allah (Deus) vos dê jhannat (Paraíso)! 


 

Agradecimento

Agradeço ao Msc. Sinawuadjia, pelo tema e pela sabedoria que tem me proporcionando na cadeira de Geografia da Industria e noutras por ele dadas e pelo tipo de trabalho, visto que deste aprendi como se faz ou se deve fazer um trabalho de pesquisa.

Aos meus docentes do curso de geografia, meus colegas de casa, da faculdade e a todos que me conhecem e todos que contribuíram e contribuem na minha careira académica.


 

Resumo

Os recursos minerais são na sua maioria um dos maiores fontes de riqueza de uma nação quando estes forem bem utilizados em beneficio da comunidade. Neste sentido, implicaria a participação activa de todos intervenientes quer a política governamental e da intervenção das comunidades locais. Assim, destacamos aqui os recursos minerais que ocorrem na região de Bajone, apesar da sua inoperância seja de acreditar, recursos financeiros e politicas governamentais.

Palavras-chave: Recursos Mineiras, Posto Administrativo, Bajone, Industria.

 

Abstract
Mineral resources are mostly one of the greatest sources of wealth of a when they are well used to benefit the community nation. In this sense, involve the active participation of all stakeholders both government policy and intervention of local communities. Thus, we highlight here the mineral resources that occur in the region of Bajone, despite its ineffectiveness is to believe, financial and political government resources.

Keywords: Mining Resources, Administrative Post, Bajone, Industries.


 

Introdução

O presente trabalho tem como tema: Estudo de Recursos Minerais, caso de estudo no Posto Administrativo de Bajone-Maganja da Costa, tendo em vista aqueles relacionados com o ferro. O trabalho enquadra-se na cadeira de Geografia de Industria, sobre tudo quando abordamos dos recursos minerais como matéria-prima para as indústrias, sua importância no seio da sociedade. Aqui procuramos discutir o conceito de recursos minerais, jazigos minerais e outros conceitos achados pelo autor como importante numa primeira fase para nos facilitar a percepção do trabalho e de seguida abordagem no caso de estudo. Foram aqui utilizadas como referências bibliográficas importantes DOMINGOS, Bene. Caracteristicas Fisico-Geograficos de Distrito da Maganja da Costa. Maputo, (1992)., Atlas geografico e plano estrategico do distrito de Maganja da Costa. O trabalho esta divido em dois capitulos.


 

  1. Delimitação do tema

Tendo em conta que a modalidade de escolha do tema foi da autoria do docente da cadeira de um para o resto dos estudantes na qual a diferenciação reside do local de abordagem, o autor desta pesquisa escolheu o distrito de Maganja da Costa concretamente no Posto Administrativo de Bajone.

As maiores dificuldades encontradas ao longo deste trabalho estão fundamentalmente ligadas com a falta quase total de bibliografias relacionadas com o estudo desta região. Como resultado disso, houve um certo laconismo na abordagem dos aspectos, embora fosse do interesse do autor desenvolver muito mais os assuntos tratados. Assim, as limitações do trabalho estão relacionadas ao material pouco disponível.  

Finalmente o uso de uma literatura generalizada, sem incidir sobre a região ora em estudo, criou algumas dificuldades na elaboração do presente trabalho.


 

  1. Problematização

O Distrito de Maganja da Costa, tem uma economia caracterizada pelos desequilíbrios estruturais, com uma alta incidência das calamidades naturais, pobreza e má nutrição. A maioria da população vive na agricultura de subsistência e dos recursos naturais e o seu rendimento depende essencialmente da produção agrária. (PEDDMC, 2004-2008:67).

A dependência dos recursos naturais para a sobrevivência (fonte de combustível lenhoso, desflorestamento apara a pratica da agricultura, pesca, caça e fonte de água para a sobrevivência) duma maneira insustentável virou uma pratica rotineira.

A predominância de recursos minerais e sua exploração muda a vida das sociedades locais e das zonas circunvizinhas. O estudo profundo de jazigos de minerais, sua apropriação e exploração fortifica a economia de uma nação e da empregabilidade dos jovens, criação de indústrias entre outras actividades.

v  Que recursos minerais ferrosos ocorrem no Posto Administrativo de Bajone?

 


 

  1. Hipótese

Para dar resposta a questão que se prende como elemento de base da pesquisa, levantam-se as hipóteses seguintes:

Primaria:

  • O reconhecimento e/ou estudo profundo da geologia do terreno pode facilitar a identificação do tipo de mineral ferroso que ocorre num dado espaço geográfico.

Secundário

  • A ocorrência de um dado tipo de rocha num espaço geográfico  


 

  1. Justificativa

A predominância dos recursos minerais em um espaço geográfico e sua exploração, oferece uma oportunidade para melhoria de condições de vida de uma população e consequentemente na maximização dos lucros por parte das empresas exploradoras.

A escolha do tema pretende-se com o facto de procura-se compreender a existência ou não dos recursos minerais no Posto Administrativo de Bajone, principalmente a ocorrência de minerais de ferro.

A pesquisa dos jazigos de mineral principalmente o de ferro de um espaço geográfico permite o manejo, o estudo de viabilidade e dos impactos ambientais que advirem na sua exploração.

Assim, escolha do local de pesquisa prende-se com o facto de o autor ter o conhecimento da área de estudo, visto que trata-se de um espaço na qual o autor passou o seu maior tempo da sua infância.

Quanto ao estudo de recurso mineral principalmente o de ferro, é da autoria do tutor da cadeira, enquadrando-se como num dos temas abordados na cadeira de Geografia de Industria.

Mas também, na tentativa de poder contribuir com um manancial de conhecimentos para a sociedade, a camada intelectual acerca dos recursos minerais em especial a do ferro que predomina no Bajone.

 


 

  1. Objectivos do trabalho

Objectivo geral

ü  Descrever os recursos naturais de povoado de Bajone – Maganja da Costa.

Objectivos específicos

ü  Identificar os recursos naturais de Povoado de Bajone;

ü  Analisar os seus impactos sócio económico na escala local;

ü   Propor medidas sustentáveis de uso de recursos naturais de modo a minimizar os impactos negativos ao meio ambiente do povoado de Bajone;

ü  Indicar as formas de uso dos recursos naturais pelo povoado de Bajone.


 

  1. Metodologia

Para a realização deste trabalho, seguiu-se as seguintes metodologias:

Numa primeira fase foi feita a revisão de literatura, que foi a base de sustentação da presente pesquisa. Esta consistiu na análise de diversas obras e artigos electrónicos que abordam assuntos relacionados com o tema em estudo. Sendo que a busca dessas obras foi feita através do ATLAS geográfico, na Direcção Provincial para Coordenação da Acção Ambiental (DPCAAZ), na agricultura e nas bibliotecas da Cidade. Os artigos electrónicos que foram consultados no Google Académico, onde foram também consultados publicações existentes em algumas bibliotecas digitais ou alguns repositórios nomeadamente Scielo, african library, medline e outros.

O estudo contou com o uso de varias técnicas de entre elas a observação directa, devido o forte domínio do povoado em estudo pelo autor, por ter lá vivido mais de cinco (6) anos, embora esteja fora dela, tem visitado regularmente nas ferias, possibilitando-lhe deste modo o conhecimento actual dos recursos naturais, as diversas formas de uso e aproveitamento e o modo de vida da comunidade da área em estudo. Também foram observados vários comportamentos da população de diversos níveis sociais em relação ao meio ambiente.


 

Capitulo I

  1. Breve consideração sobre Bajone

Sendo o objecto do ensino da geografia o estudo de territórios seleccionados, qualquer investigação ou estudo de carácter geográfico deve compreender a localização, estrutura e desenvolvimento da região em estudo. Torna-se importante por esta razão, mostrar a sua situação geográfica, as dimensões, as suas alterações (desenvolvimento) como resultado da sua evolução ou pela influência de outros factores como o tempo.    

 

1.1 Localização e caracterização da área em estudo

1.1.1 Caracterização geográfica

Figura 1: Localização geográfica.

Fonte: Autor através da Google

Bajone é um Postos Administrativo do distrito de Maganja da Costa a sul da província da Zambézia em Moçambique entre os paralelos 17º 18’ sul e 18º 18’sul e entre os meridianos de 38º 13’e 39º 35’ de longitude Este. Com uma área estimada cerca de 8,258  km2

 

Limites:

Norte: Limita-se com o Distrito de Pebane e Posto de Mocubela,

Oeste: volta mais uma vez a fazer fronteira com o Posto administrativo de Mocubela;

Este: Limita-secom Oceano Indico.

Sul: faz fronteira com o Posto Administrativo Sede – Bala através da localidade de Cabuir e a

A sua localização goza de uma posição estratégico-geográfico impar no contexto geral do distrito, adjudicados pelos seguintes factores:

  • Acesso rodoviário com a maior parte das suas localidades, com a sede distrital, com o posto administrativo de Mocubela e o distrito de Pebane atrevs da localidade de Naico.
  • Possibilidade de ligação com o distrito de Pebane através de embarcação no rio Muniga e Muriade, na circulação de pessoas, bens e serviços.

Todas estas condições criam possibilidade de o Posto passar a ser visto como uma sede de distrito.

1.2 Breve historial do Posto Administrativo de Bajone

Segundo os contos populares, Bajone aparece quando as pessoas principalmente os homens com a actividade pesqueira deslocavam para se instalar no Parada com finalidade de lá estarem durante um período que ia de uma ou mais semanas com o objectivo de arrecadar maior pescado. Esta actividade de ficar num local durante muito tempo foi gradualmente ate a denominação do local para designar-se Bajone. Para outros, Bajone, aparece com a expansão dos Nhanjas a costa para a obtenção do pescado e do sal.

Bajone passou a categoria de posto administrativo na resolução no 6/87 de 25 de Abril de 1987pelo conselho de ministro. (LEI no 6/87, p. 75).

1.3 Divisão Política e Administrativa

O Posto Administrativo de Bajone, é sudividido administrativamente por três localidades, nomeadamente: a localidade de Naico a Norte, localidade de Missal a Sul e a localidade de Nacuda ao centro. Composto por um chefe do posto e três presidentes de localidades e esses por sua vez coadjuvados pelos régulos, secretários dos bairros, das células até aos chefes dos quarteirões.

1.4 Características Geológicas

A estrutura geológica constitui a base do meio natural onde ocorrem muitos processos físicos naturais. Ela é um dos principais factores da existência de determinados ecossistemas e das actividades neles desenvolvidas.

A geologia do Posto Administrativo é genericamente caracterizada pela ocorrência de rochas cristalinas pré-câmbricas a norte do posto na Localidade de Naico e uma cobertura superficial de rochas sedimentares, não consolidadas numa grande faixa de dezenas de quilómetros a partir da costa, caracterizada pela ocorrência de aluviões do quaternário que inclui na costa e próxima dela, áreas mais pequenas de areia eólica. (DOMINGOS, 1992, p. 11).

Segundo Afonso citado por Domingos (1992:11), as rochas metamórficas (cristalinas) do Pré-câmbrico compõem o complexo gnaisso-migmatítico enquanto as rochas sedimentares, as formações sedimentares de quaternário.

Neste caso, região da localidade de Naico, ela é constituída na sua maioria por rochas cristalinas Pré-câmbrico, pois ocorrem nesta região principalmente no seu limite com o posto administrativo de Mocubela a extracção de pedras para a construção de habitação e pontes. A faixa costeira de Bajone, encontramos areia fina, na qual conjugado com a acção das marés, vão se segmentando até ao ponto em que se encontram.   

Formação dunar

Destaca-se nesta região a formação de dunas cuja esta formação desenvolve-se ao longo da costa, nas formações sedimentares do pôs jurássico. É caracterizada por dunas costeiras e dunas interiores de origem eólica. Este tipo de relevo ocorre nas regiões de Munaepa, Idugo, Intacatane, Moroa, Gurai, Nacuele e Naico-Muacipwá. Esta acção, pode também estar associado da proximidade do canal de Moçambique.

 

1.5 Características Climatológicas  

O conhecimento das condições climáticas duma região é de estrema importância e é, ao mesmo tempo, factor crítico limitativo do bem-estar e de todo desenvolvimento, pelo que se impõe a necessidade de se possuírem informações climatológicas de confiança e em números satisfatórios, (CONSALVES, 1970)

Para o posto administrativo em estudo, as informações são escassas, sendo as poucas disponíveis obtidas através de alguns postos udométricos por aqui estabelecidos junto as plantações agrícolas.

A variação da altitude da costa para o interior é de 0 a 240 m, sendo que esta variação é demasiada pequena para influenciar significativamente o clima, contudo a extensão da costa é muito importante na variação sobretudo da temperatura e quantidade de humidade.

Destacamos nesta região como factores que influenciam a modificação do clima como a zona de convergência intertropical, o anticiclónico do indico, o anticiclónico de origem térmica que se forma sobre a arábia e a depressão de origem térmica situada sobre a África meridional.          

Em suma, o clima desta região é do tipo “trópica chuvoso de savana – AW” (classificação de Koppen), com duas estações distintas, a estação chuvosa e a seca. A precipitação media anual é de 1,365mm, enquanto a evapora transpiração potencial media anual é cerca de 1,593 mm. A maior queda pluviometrica ocorre sobre tudo nos meses de Dezembro de um ano e Abril do ano seguinte, variando significativamente na quantidade e distribuição quer durante o ano, quer de ano para ano, e a temperatura média está na ordem dos 25,70 C, sendo as médias máximas e mínimas 31,0 e 20,4º C respectivamente. (ESTATAL, 2005, p. 2).

1.6 Características hidrológicas  

A hidrografia do posto administrativo é caracterizada por uma rede extensa de rios, lagoas e pântanos. Neste caso, a região é atravessada por 6 rios principais nomeadamente, Nipiode, Milage, Mudir, Moniga Alto Mutabide, rio Complicado, uma lagoa (Namadiba), e é banhado pelo Oceano Indico.

Os rios são de regime periódico sendo que as vazantes e enchentes depende das quedas poluviometricas. O rio Moniga  no seu contacto com o rio Muriade pelo canal deu origem a Ilha Idugo.

Devidos as características hidrográficas, a morfologia e estrutura do terreno da maior parte do Posto Administrativo de Bajone, os rios têm uma reduzida importância económica. E somente no período chuvoso que é possível o seu aproveitamento para a irrigação, quer natural através das cheias e quer através de obras hidráulicas que se podem montar. Os principais rios são navegáveis nos cursos inferiores junto a foz. Os canais permitem a comunicação dos rios e sendo navegáveis com pequenas embarcações. Grande importância desempenham as lagoas e os rios para o abastecimento de peixe as populações locais e circunvizinhas, (DOMINGOS, 1992, p. 34).  

1.7 Características geomorfologica

Bajone é geomorfologicamente subdivido em duas unidades menos distintas nomeadamente: Bacia sedimentar ao longo da faixa costeira que compreende os sedimentos recentes do quaternário, nomeadamente as dunas costeiras consociadas as areias hidromórficas, sedimentos flúvios-marinhos (Mangais) e os aluviões dos rios, mais ainda por alguns extractos isolado pela plataforma dos mangais que constituem sedimento do terciário e, mais para o norte no interior da localidade de Naico, o Posto é complementado pelo relevo declivoso derivado das rochas metamórficas e Eruptivas do Pré-câmbrico conhecido também pelo “Complexo Gnaisso-granítico de Moçambique Belt”, de onde resultam solos residuais com texturas que variam desde arenosa, argilosa e solos de profundidade rasa, solos muito profundos. (ESTATAL, 2005, p. 3).

1.8 Características pedológicas

Ocorre nesta região os solos arenosos de areia fina de cor branca a vermelha formado por aluviões marítimos e com elevada quantidade de matéria orgânica. Em algumas partes verifica-se os solos salobros e lodosos, com muita matéria orgânica em certas partes, constantemente pantanosas.

Como frisa (MUCHANGOS, p. 77), estes tipos de solos que ocorrem nas regiões do litoral e sublitoral, caso especifico de Bajone, revelam a irrelevância da influência dos processos de formação sobre a natureza da rocha-mãe e em contrapartida a importância da duração da acção dos factores climáticos e da cobertura vegetal. 

Tomando em consideração que Bajone, encontra-se na faixa costeira, podemos destacar aqui a ocorrência de solos salinos de origem oceânica, associado a proximidade da costa e das condições estuarinas, o que permite a fixação e o desenvolvimento de ecossistemas ricos em espécies de animais e vegetais e importante sob o ponto de vista económico. (MUCHANGOS, 1999, p. 79)      

1.9 Vegetação

A composição e a distribuição da flora terrestre relaciona-se estreitamente com a posição geográfica e astronómica de uma região e no caso específico de Bajone, por se encontrar na zona tropical do hemisfério sul, na costa oriental e austral do continente africano.

Neles envolvem-se o mangal, sendo o mais abundante são as espécies dos géneros Avicennia, Rizophora e Brugueira. Estas espécies são fortemente exploradas pelas populações locais para fins de construção e como combustível lenhoso.

Nas áreas pantanosas entre dunas influenciadas pelas cheias temporárias desenvolvem-se arbustos entre palmeiras e vegetação psamófila, na qual permite de algum modo a fixação das dunas. Devido ao tipo de clima que ocorre neste posto, a maior parte da região é ocupada pelas extensas áreas de plantações de coqueiros pertencentes a grandes empresas agro-pecuárias como é o caso da companhia da Borror, Madal, Moroa e Zambezia. Ocorrem também nesta região, a Umbila, Chafuta, murotho, Pau-ferro entre outras espécies; Mangueira, Cajueiro, etc.

Tabela 1: classificação de espécies florestais

Nome comercial

Nome científico

Classe

Pau-ferro

Swatzia madagascariensis

Preciosa

Umbila

Pterocarpus angolensis

Primeira

Jambiri

Milletia stuhlmannii

Primeira

Chanfuta

Afzelia quanzensis

Primeira

Muaga

Pericopsis angolensis

Terceira 

Monzo

Combretum imberbe

Preciosa

Murooto

Branhytegia spciformes

Terceira

Umbaua

Khaya nyasica

Primeira

Fonte: serviços distritais de Actividades económicos, 2009.

1.11 Fauna bravia

O Posto Administrativo de Bajone, dispõem de recursos faunísticos sobretudo nas localidades de Missal e Naico e tem sido a causa de proliferação de caçadores furtivos locais. Verifica-se neste local a ocorrência de animais como é o caso de crocodilos, macacos e hipopótamos nos rios Milage, Moniga, Mutabide, Mudir entre outros.

Os tipos de animais predominantes são: gazelas, porcos do mato, galinhas do mato, perdiz, tartarugas e estes encontrando-se em via de extinção.

1.12 Infra-estruturas

O posto é servido por transporte terrestre público. A rede de estrada do posto, comporta as estradas classificas e não classificadas. Possui uma escola secundária geral, 6 postos de saúde. Em termo de telefonia, o posto tem o sistema de telefonia móvel das três operadas que operam na nação moçambicana (a Mcel, a Movitel e a Vodacom), abastecimento de água através de furos de águas no sistema de bombas a manuais (giga giga), um girador para o fornecimento de energia a nível da sede do posto situado em Tapata.   

1.13 População

A população do posto administrativo de Bajone, esta distribuída de forma heterogénea, visto que encontramos em algumas áreas pouco povoadas e outras muito povoadas. Elas dedicam-se a pratica de Agricultura e a pesca na sua maioria, como sendo a actividade primordial para alem daqueles que vivem nas proximidades das companhias agrícolas que se dedicam a serviço das plantações.

Segundo Instituto Nacional de Estatística sobre o Censo da População e Habitação de 2007, a população do Posto Administrativo de Bajone, é estimada em 12,356, habitantes.

 

1.14 Estrutura Sociocultural 

A maior parte do posto administrativo de Bajone, professam a religião muçulmana, sendo que, a minoria pratica a religião cristã devido a influência da expansão dos árabes pela costa moçambicana.  O casamento prematuro tem se notabilizado nos dias que correm devido a falta de informação sobre os riscos que dela provem, talvés seja de acreditar que elas sejam motivadas pelas práticas de ritos de iniciação, pois, todo jovem deve passar por esta prática.

Os ritos de iniciação têm como importância para esta comunidade, a formação de um homem capaz, responsável a a fim de ser senhor dos seus destinos, isto no caso dos homens e nas raparigas tem como importância a transmissão dos saberes de como tratar um marido e quais os procedimentos que ela deve ter para pôr em pratica enquanto dona de casa e mãe.

Nesta comunidade existe uma grande recorrência ao uso combinado da tradição (curandeiros) e das unidades sanitárias existentes para a o tratamento de diversas doenças e em de as duas instancias forem incapaz de responder elas são transferidas para a vila da Maganja, Pebane e/ou Mocuba.

Nos jovens para além dos casamentos prematuros, tem se notabilizado o consumo das bebidas alcoólicas com maior incidência nos períodos de noite quase nos Onze meses exceptuando o mês de Ramadane na qual as pessoas encontram-se a Jejuar.

1.16 Recursos minerais)

As características geológicas de Bajone, não favorecem a existência de consideráveis recursos minerais, devido a sua predominância de matérias do quaternário e quase nula ocorrência de minerais metalíferos. A sua ocorrência ‘e muito limitada e associada a outros minerais sem importância económica, (DOMINGOS, 1992, p. 14).

Domingos (1992:16), reforça a existência de metais pesados, visto que é esta região que engloba as de areias pesadas de Moma, que partem do rio Raraga a vila de Pebane.

Para a empresa exploradora de areias pesadas de Moma KENMARE na sua página oficial, as areias pesadas elas abrangem toda de Moçambique estão subdivididas em três regiões na qual uma destas encontra-se a região aqui em estudo.

Encontramos ao longo da sua costa a ocorrência dos depósitos de ilminite e associada a ela encontram-se outros minerais como ‘e o caso de monazite, rutilo e zircão, (Idem).

A existência das areias ilmeníticas (titanado ferroso) na área de estudo, está relacionada com os processos de erosão das rochas cristalinas do Pré-câmbrico durante as transgressões, da acção eólica e consequentemente formação das dunas nas regressões dos períodos pluviais.

Segundo Afonso (1976:123) citado pelo Domingos (1992:15), a ilmenite e o rútilo estão relacionados com as dunas costeiras e os restantes, incluindo o diatonite, se relacionam com as dunas interiores e com aluviões intercalados com material detrítico. As areias pesadas apesar de abrangerem toda a costa, elas desenvolvem-se mais a partir do rio Moniga em direcção a sul até no rio Raraga.

Figura 2: mineral ilmenite

Fonte: Autor através da Google/ 23-05-2014

De acordo com a carta de jazigos e ocorrências de minerais (1:2000.000, DSGM, 1974), é a partir do rio Raraga a sul de Bajone em direcção ao norte na sua linha da costa até ao rio Moniga onde ocorrem os minérios de titânio nas camadas aluvionares e de alteração superficial das formações sedimentares de pôs jurássico.

 

 

Tabela 2: Jazigo e sua ocorrência

No de referência

Jazigo/ocorrência 

Tipo de jazida

Mineralizações úteis

Localização

88

Ilha Idugo

Sedimentar

Ilmenite, monazite, rútilo, zircão

                   Bajone

 

89

Gurai

Sedimentar

Ilmenite, monazite, rútilo, zircão

Fonte: ING – algumas áreas perspectiva para investigação geológica, 1989:5054

 

1.17Importância do minério ilmenite

Para a empresa exploradora de ilmenite das Minas de Moma a KENMARE, na sua página informativa, os produtos extraídos das areias pesadas são usados no fabrico de tintas, plástico, na indústria cerâmica e de aviação, fabricação de peças ortopédicas, entre outros fins.

Desde modo, a exploração deste precioso recurso mineral neste espaço geográfico, permitiria na melhoria das condições socioeconómico da população e da economia do país. Permitiria a criação de emprego e geração da renda. Das areias pesadas pode-se separar a ilmenite, o zircão e o rútilo. A ilmenite é um minério de ferro e titânio e é utilizada na produção de pigmentos que são usados nas indústrias plásticas e de tintas. O zircão é utilizado na indústria cerâmica. O rutilo é uma forma muito pura de dióxido de titânio essencial para a produção do metal titânio, que é utilizado num sem número de indústrias de alta tecnologia, como por exemplo no fabrico de aviões.

O desenvolvimento de novos projectos para a produção de produtos minerais a partir das areias pesadas está dependente da capacidade do mercado internacional para absorver tais produtos.

1.18 Industria mineira em Bajone 

A região de Bajone, não existe uma indústria mineira e nem uma área de exploração mais possui algumas fábricas de indústrias de farinhação e um número considerável de fábricas de extracção da copra sedeadas nas plantações. Encontramos também uma oficina de descaroçamento da castanha de caju vindo da fábrica de Mocubela.


 

Capitulo II

  1. Fundamentação teórica e conceptual

Recursos minerais

Os recursos minerais são todos os bens mineralógicos existentes na crusta terrestre, passíveis de serem utilizados pelo Homem.

Os recursos minerais podem ser agrupados, segundo as suas propriedades químicas, em recursos minerais metálicos e em recursos minerais não metálicos.

Existem vários exemplos de recursos minerais metálicos: uns mais comuns como o zinco, o cobre, o alumínio, o ferro e o chumbo, e outros mais escassos como o ouro, a prata e a platina.

À exploração dos recursos minerais metálicos está associados impactos ambientais negativos como a desflorestação, a acumulação de desperdícios (ex.: escombreitas) e a poluição.

Os recursos minerais não metálicos são muito abundantes na Natureza. A sua utilização é tão ampla que são considerados bens de primeira necessidade. As areias, as argilas e as rochas (ex. granito, basalto, mármore e calcário) são exemplos de minerais não metálicos.

Portugal é um país relativamente rico em recursos minerais não metálicos, que são utilizados como matérias-primas, nomeadamente na construção e na ornamentação.

Jazigo mineral

Os conceitos de jazigo mineral e de minério, embora de uso corrente, são difíceis de precisar e não existe, ainda hoje, uma definição verdadeiramente científica para eles.

A definição mais divulgada diz ser jazigo mineral toda a massa mineral cuja exploração é susceptível de ser remuneradora.

RAGUIN (1961, p.1) diz: “minérios são as substâncias minerais naturais susceptíveis de exploração e venda com lucro para serem utilizadas, em geral, depois de uma elaboração industrial física ou química”.

A dificuldade, que apresenta a definição de jazigo mineral e de minério, reflecte-se na legislação mineira dos diversos países.

Assim, a legislação portuguesa (Decreto nº 18713, de 1 de Agosto de 1930, art. 3°), sem dar qualquer definição de jazigo mineral ou de minério, classifica aqueles nas seguintes classes: 

1ª Classe

  • Jazigos minerometalíferos: secreções, filões, camadas, massas e aluviões;

2ª Classe

  • Depósitos não metalíferos de grafite, antracite, hulha, lignite, turfa, amianto, talco, salgema, sais de potássio, fosfatos, nitratos, caulino e Tripoli;

3ª Classe

  • Depósitos de hidrocarbonetos e substâncias betuminosas. 

Como tal classificação não encerra uma definição de Jazigos Minerais, embora apresente má classificação dos mesmos, a legislação (Decreto citado, art. 4°) prevê o caso de poderem vir a ser adicionados outros jazigos minerais aos acima citados, portanto outros minérios aos numerados (SERRANO, 1969, p.19-22).

F. BLONDEL (1950) criticou as noções de jazigo mineral e de minério, chamando a atenção para o que há de absurdo em definir aqueles conceitos sobre considerações económicas. Um dado jazigo mineral ser ou não economicamente explorável é uma conclusão a que só se chega pelo respectivo estudo. 

A definição de jazigo mineral deve, segundo BLONDEL, basear-se nos caracteres intrínsecos do próprio jazigo e não na situação geográfica, condições de mercado e tantos outros factores aleatórios que são introduzidos, na definição clássica, pela condição de ser economicamente explorável. 

Entre os caracteres intrínsecos à natureza dos jazigos minerais faz, aquele autor, sobressair a anomalia que constituem as concentrações minerais que dão origem àqueles, pois tais concentrações apresentam-se como o resultado de fenómenos particulares, daí as raras probabilidades de existência e ser necessário utilizar métodos especiais de pesquisa para a evidenciar.

É esta característica particular que faz proteger por legislação especial os jazigos minerais e, baseando-se nela, BLONDEL (1950, p.19) propõe, como tentativa para uma melhor definição:

Jazigo Mineral é uma massa mineral bastante rara e bastante anormal para que a sua pesquisa necessite de métodos especiais.

Trata-se ainda de uma definição empírica e prática, como o próprio autor reconhece, mas que em a vantagem de afastar as condições económicas e definir essas massas minerais pelas características que na realidade têm permitido enumerar as substâncias considerados minérios: a raridade e a anormalidade da sua concentração na zona da crusta terrestre acessível à pesquisa.

Aceitando aquela definição para jazigo mineral, pode definir-se (BLONDEL, 1950, p.19) minério nos seguintes termos: 

Minerais  

São aquelas substâncias naturais que encerram um elemento químico em teor relativamente elevado ou sob forma química facilmente redutível ou as que apresentam propriedades físicas raramente realizadas na crusta terrestre.

O conceito de minério encerra, como se viu, a noção de concentração anormal. Esta opção é referida, em regra, ao teor normal dos elementos químicos na crusta terrestre ou seja ao respectivo clarke. O conceito de concentração é, pois, essencialmente de natureza química e pode ser definido como traduzindo a concentração química anormal de um dado elemento químico em relação ao respectivo teor médio na crusta terrestre (ROUTHIER, 1963,p.15).

A concentração exigida, de um dado elemento, para que origine um jazigo mineral é muito variável. Em regra, essa concentração é da ordem de várias centenas a vários milhares do valor do respectivo clarke (MASON, 1958, p.47).


 

Conclusão

Ao decorrer do desta pesquisa, ficamos ciente de que os recursos minerais da região em análise, são de estrema importância, se estivessem na sua exploração, o que de algum modo poderia ajudar na economia do nosso país e da nossa população.

Percebemos que, na região em análise, não dispõem de nenhuma indústria mineira, visto que os recursos aqui existentes não estão no processo da sua exploração. De acordo com os estudos aqui apresentados, fica claro que a região de Bajone, tem um potencial de Jazigos de ilmenite e areias pesadas, uns dos minerais muito importantes para o desenvolvimento da economia de uma nação a que estamos.

Bibliografia

CONSALVES, C. A. (1970). Contribuiçao para o estudo do balanço hidrico e da caracterizaçao climatica da provincia de moçambique (regioa compreendida entre os rios zambeze e rovuma), S.M.M.,. Lourenço Marques.

DOMINGOS, P. (1992). Caracteristicas Fisico-Geograficos de Distrito da Maganja da Costa. Maputo.

ESTATAL, M. d. (2005). Perfil do Distrito de Maganja da Costa- Pronvincia da Zambézia. Maputo, Moçambique.

GODINHO, D., & MARQUES, A. S. Carta dos Solos de Moçambique 1:4.000.000, in agronomia Moçambique, publicaçao trimestral, (Vols. 7 (número 1), I.I.AM., ). Lourenço Marques .

MUCHANGOS, A. D. (1999). Moçambique-Paissagens e Regioes Naturais. (D. Autor, Ed.) Maputo: Do Autor.

O texto base é da autoria do Prof. Décio Tadeu, regente das cadeiras de Jazigos Minerais no IST até 1986, a quem prestamos uma homenagem póstuma. A maioria das figuras foram extraídas de Smirnov  (1976)  –  “Geology  Of  Mineral  Deposits”  e  Bateman  (1957)  –  (Trad. Castelhano) acimientos Minerales de Rendimento Económic

Encontro com os Candidatos a Presidência da AEUP-Beira, sobre o provável adiamento das eleições

Estivemos reunidos ontem dia 27 de Maio de 2014, na terça-feira cuja agenda era o provável adiamento das eleições para o Outubro próximo alegando-se sobre a falta de condições monitorias para a efectivação das mesmas.

Após a auscultação dos candidatos, chegou-se a conclusão que apesar das mínimas condições que a comissão de eleições da AEUP-Beira disponha deveriam se realizar as eleições. Assim, a comissão de eleições no poder do presidente António Sábado, deliberou-se que devem se realizar as eleições, apesar das condições não serem favoráveis pois se adiamos para em Outubro na visão de alguns candidatos, a Associação dos estudantes estaria cada vez mais a perder a sua personalidade no seio dos estudantes.